terça-feira, abril 27, 2010

Rock pra vencer na vida pruns fudidos iguais a vocês


Sem muitas palavras, sem muita enrolação. Esse post foi feito pra você, roqueiro trapizomba, imundo e coitado que acorda infeliz e tem como únicas opções um 7" do Cut Your Hair ou um 4-way split Agoraphobic Nosebleed/Agathocles/White Frogs/Spazz. Isso aqui é rock pra vencer na vida, porra! Apreciem a felicidade dos músicos, a emoção em cada acorde, a galera bonita reunida e curtindo um dia legal ao som desse estilo subestimado por muitos. Sempre que vocês se sentirem mal, podem entrar aqui e se valer dessas pepitas de alegria e felicidade em formato musical.

For those about to Arena Rock, we salute you!




Atentem pra beleza do visual do Mike Levine, baixista da banda. Isso foi feito antes de terem inventado a ironia, só pra vocês saberem, tá?


 


Eu amo Journey, muito pelo fato do Steve Perry ser uma mistura de Biafra com André Mattos e também fazer umas caretinhas quando ataca nos agudos.




Muito provavelmente seu pai comeu sua mãe bem gostoso ao som dessa música. Só pra vocês saberem de novo, tá?




Rock de arena não é rock de arena sem som grandiloquente super produzido e quilos de cocaína. Sendo assim, Fleetwood Mac!



O lance aqui fica mais heavy, mas não menos arena. Quiet Riot e seu grande sucesso. Bang Your Head, motherfuckers!!!!

 



REO Speedwagon não pode faltar num café da manhã dos campeões!



Kansas pra você é só aquela baladinha xexelenta "Dust in the Wind"? Pau na sua bunda, os caras faziam rock pauleira para as multidões e ostentavam a melhor coleção de pêlos faciais da época. Comprovado isso!




Agora, uma das prediletas do meu amigo pessoal e futuro hóspede, senhor Leonador Marx, PhD em bom gosto e em mais alguma outra merda que ele ensina lá nos EUA: Asia!


 

Europe, a banda que não compõe canções, compõe hinos!



Phenomena = Hollywood, o sucesso! Precisa dizer mais? Não, não precisa!
  

Sabe por que vocês não pegam mulher? Porque ficam fazendo esporro com a guitarra e vocal gutural, ao invés de seguir o exemplo do Foreigner.




Eu amo o fato de que o Marillion era uma das bandas preferidas do meu pai nos anos 80 e que seu vocalista se chama PEIXE e parece a mistura de um extra do Willow com meu amigo metaleiro Joaquim Ghirotti.





Como a imensa maioria das bandas AOR, o Supertramp começou tocando rock progressivo, mas percebeu logo que nunca seriam trilha-sonora prum vôo de ultra-leve num comercial de cigarros Hollywood e mudaram pra melhor. Ah, o vocalista fala fino!




E por falar em falar fino e tocar rock progressivo chato, Yes na sua - quer vocês queiram ou não - MELHOR FASE! Porra, esse clipe tem guitarra sintetizada, escorpião, águia, subtexto Kafkiano (Rá, e vocês achando que eu era só mais um rostinho feio, hein?!) e emoção ZERO nas interpretações. Não sei como poderia ficar melhor, sério.





Parafraseando o grande Ron Burgundy, se você não acha essa a melhor canção de todos os tempos, eu brigarei com você. Tudo aqui é perfeito! O visual, a capilaridade dos membros, a letra, o riff, o refrão... Mano, olha esse batera! O cara é uma mistura de Viking com Cro Magnon porra, que coisa mais linda!!! Devo agradecer ao Boston por ter me feito trocar três palavras com o Sebastian Bach do Skid Row, que elogiou minha camisa da banda. Se isso é bom ou ruim, eu já não sei.


Como não poderia faltar, o ÚNICO e VERDADEIRO representante do Rock de Arena nacional, o meu ídolo pessoal, Robertinho do Recife. Nesse vídeo da Bandeirantes ele ataca um solo e emenda com um cover de Iron Maiden!!! Atenção para o cameo de Pepeu Gosma e Baby Consuelo em visual Pluct Plact Zum/Lick it Up.

 


E pra finalizar, mais um vídeo de Robertinho tocando na praia do bairro onde resido, minha amada terra de São Conrado. É muita emoção!!!

 




Então já sabem, quano estiverem deprimidos, desgostos e descrentes da raça humana, fiquem à vontade, a casa é sua. Bote uma dessas sonzeiras pra rolar e descubra todo poder do bom rock pauleira que revigora e impulsiona. Deitem, relaxem e se imaginem numa praia nos anos 80, de viseira e gel no cabelo, andando de windsurf ou paquerando a Magda Cotroffe de biquini asa-delta e rockeando com a turma em clima de "se a vida começasse agora..." . Então, pensem em mim não como um desocupado que escreve sobre bandas de rock cafonas que ninguém dá a mínima, mas como um Centro de Valorização da Vida de carne, osso e QI mediano.

5 comentários:

linsvalley disse...

Meu Deus... Isso é ouro transmutado em palavras...

Menezes, o cretino disse...

Gostaria de aproveitar a sempre bem vinda presença de Tiago Lins para dizer que um dos grandes momentos na nossa existência conjunta (e, sim, eu falo por ele aqui) foi termos levado um cover de "I just wanna use your love" do Outfield numa boate semi-vazia. Dirigir programa de tv e produzir shows de banda internacional não é nada perto disso. E tenho dito!

Victor Lima disse...

sério...salvou a minha vida.

Morocha disse...

usei este post para dançar enquanto fazia o jantar. mas menino, não é que foi ótimo?

Leonan Claro disse...

Puta seleção aí, das poucas que conheço já vi que o negócio é bom. Menção Honrosa pra "The Logical Song", tudo nessa música é bom!